Linha de Cuidado para a Saúde na Adolescência e Juventude para o Sistema Único de Saúde no Estado de São Paulo

 

Resumo: Este projeto é desenvolvido em parceria entre o Centro de Saúde Escola Professor Samuel B. Pessoa da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (CSE/FMUSP); o Programa Estadual de Saúde do Adolescente e a Área de Atenção Básica da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo (SESSP); o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP); com apoio da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS) e do Programa Pesquisa para o SUS: gestão compartilhada em saúde (Chamada PPSUS/FAPESP 2016). Foram estabelecidas parcerias institucionais com o Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo (COSEMS SP), o Programa Estadual de DTS/aids e Hepatites Virais e a Área de Saúde mental da SES SP.

O projeto tem como objetivo a construção de uma linha de cuidado para saúde na adolescência e juventude para o SUS, no estado de São Paulo (SP). As linhas de cuidado correspondem à organização de atenção para temas prioritários, com direcionalidade a partir da Atenção Primária à Saúde. No estado de SP, vêm sendo discutidas como forma de orientação programática no processo de descentralização e regionalização da saúde, tendo em vista grupos estratégicos e agravos prevalentes. A relevância da organização de uma linha de cuidado para a saúde de adolescentes e jovens, enquanto grupo populacional e a partir da perspectiva da saúde pública está em critérios de magnitude dos problemas de saúde, mas sobretudo no impacto social e na permeabilidade desse grupo às ações de promoção da saúde. A contemplação desse desafio requer a busca da integralidade, incluindo a relação entre os níveis de atenção à saúde e intersetorial em cada região, o trabalho interprofissional e interdisciplinar e a adoção de tecnologias para o cuidado integral, que considerem os adolescentes e jovens como sujeitos participantes.

A realização do projeto envolveu: A) Diagnóstico sobre a atenção à saúde na adolescência e juventude em SP, a partir de: revisão bibliográfica; identificação dos serviços de níveis primário, secundário e terciário do estado que atendem adolescentes e jovens (pontos de cuidado); elaboração e aplicação de questionário on-line junto a esses serviços para levantamento das experiências de cuidado a adolescentes já realizadas. B) Elaboração de proposta inicial da linha de cuidado e de recomendações de boas práticas, a partir de discussões em entrevistas coletivas com profissionais, gerentes e adolescentes e em grupo de experts. C) Experiência piloto da linha de cuidado em regiões de saúde selecionadas, em parceria com os Departamentos Regionais de Saúde (DRS), as Comissões Intergestoras Regionais (CIR) e os pontos de cuidado identificados nessas regiões. D) Revisão final da linha de cuidado e das recomendações de boas práticas, que resultará em documento formatado para acesso em meio digital. E) Elaboração de indicadores para avaliação da implantação da linha de cuidado, incluindo o desenvolvimento de um sistema informatizado para coleta periódica desses indicadores, baseado no questionário on-line previamente utilizado. Atualmente estão sendo elaboradas propostas para pactuação da linha de cuidado enquanto política pública no contexto do estado de SP.

O projeto reúne ainda quatro subprojetos, conduzidos por bolsistas de treinamento técnico (PPSUS/FAPESP), voltados para o aprofundamento dos seguintes temas em relação à atenção à saúde de adolescentes e jovens no SUS-SP: Intersetorialidade para a promoção da saúde e dos direitos humanos; Educação em saúde e para a cidadania; Participação social em saúde; e Geoprocessamento de pontos da linha de cuidado. O último subprojeto vem contribuindo para o documento da linha de cuidado e para a pactuação em curso. Já os três primeiros, a partir de relação com ou outros atores do CSE – funcionários, alunos e usuários -, vem sendo construída a experiência “Ocupe o CSE”, um espaço com atividades para o acolhimento, a participação e a promoção da saúde e dos direitos de adolescentes e jovens, que também pode ser tomado como um estudo de dispositivos que favoreçam o cuidado deste grupo. Nesse espaço também vem sendo iniciada proposta de atendimento breve em saúde mental e psicodrama. Estão em cursos novas parcerias e o estabelecimento de um projeto de extensão universitária para a continuidade dessas atividades.

2018 © Todos os direitos reservados